Painel de degustação: Horizontal Bordeaux 1989, celebrando o apogeu de uma grande safra na França!

Data

 
Bordeaux 1989, 25 anos para chegar ao auge da forma vínica…
De um modo geral, o grande encanto e valor intrínseco pago pelos vinhos de Bordeaux incorpora sua exaltada capacidade de evoluir e refinar-se após uma longa e cuidadosa guarda em adega. Mesmo com os avanços modernos nas técnicas de vinificação, idealizados para deixar alguns deles mais “prontos” para o consumo logo após sua chegada ao mercado, é consenso entre os especialistas que um grande Bordeaux necessita de algo entre 15 a 25 anos de guarda para alcançar seu apogeu.
Essa degustação horizontal foi planejada exatamente para testar e certificar a veracidade por trás dessa “janela” temporal de evolução e apogeu dos Bordeaux 1989. Além do ano da safra, os únicos critérios que utilizei na seleção dos vinhos participantes foi que eles tivessem uma avaliação prévia igual ou superior a 90 pontos em uma mesma fonte de crítica (apenas a Wine Spectator tinha) e não fossem demasiado caros (para os padrões médios desses vinhos, é claro!).
Assim a degustação reuniu Château Giscours (3eme Margaux), Château Brane-Cantenac (2eme Margaux), Château Pontet-Canet (5eme Pauillac), Château Cos d’Estournel (2eme Saint-Estèphe) e Château Bourgneuf (Pomerol), todos numa faixa de preço entre R$500 e R$1.500 e notas da Wine Spectator entre 90 e 95 pontos.
Os vinhos foram abertos, decantados e aerados por uma hora antes do início da degustação. Para que não houvesse nenhuma possível influência dos rótulos no julgamento dos vinhos, eles foram servidos às cegas, visando que a avaliação do grupo fosse a mais fidedigna possível. Aliás, uma providência que trouxe uma grande surpresa logo de início. Com votações praticamente unânimes entre os 10 degustadores, o resultado final ficou assim:
5º colocado: Château Cos d’Estournel (WS93)
60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot
4º colocado: Château Bourgneuf (WS90)
90% Merlot e 10% Cabernet Franc

3º colocado: Château Pontet-Canet (WS90)
60% CS, 33% Merlot, 5% CF e 2% Petit Verdot
2º colocado: Château Brane-Cantenac (WS94)
58% CS, 35% Merlot e 7% Cabernet Franc
1º colocado: Château Giscours (WS95)
60% CS, 32% Merlot, 5% CF e 3% Petit Verdot
O resultado final, com exceção da surpreendente posição do Cos d’Estournel, praticamente corroborou a avaliação de referencia da WS e confirmou o ótimo desempenho dos vinhos de Margaux na safra de 1989, repletos de frescor, intensidade e complexidade aromática e gustativa. 
Quanto à evolução dos vinhos, a sensação geral foi de que eles ainda podem atingir alguns degraus acima, ou seja, pelo menos em safras excepcionais como esta, os tintos de Bordeaux são capazes de continuar a se desenvolver por 30 anos ou mais. Uma bela experiência!

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!