10 vinhos argentinos para "beijar" antes de morrer!

Data

Quais seriam os seus?
O sommelier argentino Mariano Braga propôs em seu blog uma espécie de desafio para 12 importantes personalidades (jornalistas, críticos de vinho, enólogos e sommeliers) ligadas ao vinho, especialmente de seu país, pedindo-lhes que fizessem uma lista com os 10 vinhos argentinos que eles gostariam de “beijar” (ou degustar, se traduzirmos a metáfora) antes de morrer.
Entre os escolhidos para fazer essa seleção de vinhos, temos nomes como Paolo Basso, o melhor sommelier do mundo na atualidade; Roberto Cipresso, enólogo italiano que é um dos responsáveis pelos vinhos da Achával Ferrer; Luis Gutiérrez, crítico da Wine Advocate para os vinhos da Argentina; Alejandro Maglione, jornalista especializado em gastronomia latino-americana; James Suckling, ex-Wine Spectator e um dos críticos mais reconhecidos no mundo e Sebastián Zuccardi, enólogo argentino de grande prestígio. 
As 12 listas foram publicadas ao longo deste mês (na realidade, ainda falta uma) e trazem um rico acervo dos melhores vinhos que a Argentina produz. Como seria de se esperar, notam-se muitas distinções entre cada uma das listas feitas pelos especialistas. Escolhi três delas (justamente as feitas por estrangeiros) para ilustrar como a apreciação individual e o conhecimento limitado dos vinhos de um país podem gerar tantas diferenças na hora da escolha:
Paolo Basso (Suiço)

Temporis 2008 (Achával Ferrer)
Nosotros Malbec 2008 (Dominio del Plata)
Gran Corte 2012 (Bodega Amalaya)
Colomé Reserva Malbec 2009 (Colomé)
Cheval des Andes 2008 (Cheval des Andes)
Single Vineyard Malbec 2010 (Terrazas de los Andes)
H.J. Fabre Barrel Selection Malbec 2013 (Fabre-Montmayou)
Pasionado Cabernet Franc 2010 (Andeluna)
Nicolás Catena Zapata 2008 (Catena Zapata)
Bramare Marchiori Vineyard Malbec 2011 (Viña Cobos)
Luis Gutièrrez (Espanhol)

Finca Altamira 2011 (Achával Ferrer)
Gran Enemigo Gualtallary Single Vineyard 2010 (Bodega Aleanna)
Malbec Appellation Gualtallary 2012 (Altos Las Hormigas)
Casarena Población J M Blanco Cabernet Sauvignon 2011 (Casarena)
White Bones Chardonnay 2010 (Catena Zapata)
Noemía 2011 (Bodega Noemía)
PerSe La Craie 2012 (PerSe Vines)
Susana Balbo Signature Torrontés Barrel Fermented 2013 (Dominio del Plata)
Eggo Tinto 2012 (Zorzal Wines)
Emma Zuccardi 2012 (Zuccardi)
James Suckling (Americano)

Cobos Malbec 2011 (Viña Cobos)
Página 1 Edición Limitada 2011 (Abremundos)
Single Parcel Los Castaños Malbec 2010 (Terrazas de los Andes)
Finca Bella Vista 2011 (Achával Ferrer)
Lote L-109 Single Vineyard 2009 (Norton)
White Bones Chardonnay 2010 (Catena Zapata)
J. Alberto 2012 (Bodega Noemía)
Cheval des Andes 2008 (Cheval des Andes)
Quimera 2002 (Achával Ferrer)
Malbec 1974 (Norton)
Inspirado no desafio proposto por Mariano Braga, tomei a liberdade de fazer a minha própria lista de vinhos argentinos que gostaria de “beijar” antes de morrer:
Montchenot 20 años 1978 (Bodegas López)
Semillón 1942 (Lagarde)
Cavas de Weinert 1977 (Weinert)
Carmello Patti Cabernet Sauvignon 1997 (Carmello Patti)
Cheval des Andes 2002 (Cheval des Andes)
Nicolás Catena Zapata 2001 (Catena Zapata)
Finca Altamira 2004 (Achával Ferrer)
White Bones Chardonnay 2009 (Catena Zapata)
Alfa Crux Blend 2002 (O. Fournier)
Noemía 2007 (Bodega Noemía)
E você, qual seria sua lista de 10 vinhos argentinos para “beijar” antes de morrer?

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!