Painel de Degustação: Tintos da Borgonha (Côte de Beaune) safras 2006, 2007 e 2008!

Data

Côte de Beaune: o lar dos melhores brancos da Borgonha também se orgulha de fazer excelentes tintos…
Esse era um dos painéis de degustação mais aguardados do calendário anual da Desconfraria. A qualidade dos brancos baseados na Chardonnay feitos na Côte de Beaune é inquestionável: que o digam os sublimes Montrachets e seus irmãos “menores” produzidos ali, para muitos, os melhores vinhos brancos do planeta.
Mas e os tintos? Corton, Pommard, Volnay e outros tintos feitos na parcela sul da Côte d’Or, o quê tem para oferecer? Esse painel reuniu 8 desses rótulos (1ers Crus e Grands Crus) para tentar responder essa pergunta e as respostas obtidas, foram bastante esclarecedoras, especialmente por termos provados esses vinhos apenas dois meses depois do painel da Côte de Nuits
De um modo geral, os tintos da Côte de Beaune se mostraram mais encorpados, tânicos e “terrosos” que seus parentes do norte da Côte d’Or, onde a fruta fresca, o sous bois e a acidez mais elevada realçam o caráter mais elegante dos vinhos. 
Utilizei o termo “carnudo” para descrever a impressão gustativa inicial em boa parte desses vinhos (sobretudo nos Volnays), correspondendo perfeitamente com a percepção aromática de frutas mais maduras, especiarias e um toque de defumados. 
Se as diferenças existentes entre os tintos da Côte de Nuits e da Côte de Beaune puderam ser percebidas de maneira mais evidente, o mesmo ocorreu dentro da própria Côte de Beaune, onde os Cortons e Pommards se destacaram pela força de seus taninos e os Volnays mostraram-se mais refinados, seguindo uma linha média mais equilibrada e sutil. 
Essas particularidades são mais uma demonstração da relevância inegável do conceito de terroir, tão caro aos franceses, especialmente entre os viticultores da Borgonha que cuidam de parcelas ínfimas (se compararmos com Bordeaux, por exemplo) e tão distintas de uma terra abençoada para o vinho. 
A classificação final dos vinhos foi a seguinte:
8º lugar: Bouchard Pere et Fils Volnay Caillerets 1er Cru Ancienne Cuveé Carnot 2007

7º lugar: Jacques Prieur Beaune 1er Cru Clos de la Feguine 1er Cru 2008

6º lugar: La Pousse d’Or Volnay 1er Cru Clos de la Bousse D’or 2008

5º lugar: Aegerter Pommard 1er Cru Les Bertins Réserve Personnelle 2006

4º lugar: Vincent Girardin Chassagne-Montrachet 1er Cru Morgeot 2007
3º lugar: Vincent Girardin Beaune 1er Cru Les Bressandes 2007
 2º lugar: La Pousse d’Or Corton Clos du Roi Grand Cru 2006

1º lugar: Jacques Prieur Volnay-Santenots 1er Cru 2006

O próximo painel da Desconfraria também será muito interessante e um de meus preferidos: degustaremos os ricos, perfumados e sedosos tintos de Châteauneuf du Pape das safras 2005, 2006 e 2007… Aguardem!

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!