Painel de Degustação: Margaux e Saint-Julien 1999 a 2001, quando a verdade aparece na taça e não no rótulo!

Data

Margaux e Saint-Julien: Nem sempre o resultado corresponde ao pedigree do rótulo…
Observando o mosaico fotográfico acima, onde estão dois vinhos 2emes Crus Classés, três 3emes Crus Classés, quatro 4emes Crus classés e mais um segundo vinho de um 2eme (Clos du Marquis, de Leoville Las Cases), a classificação final dos vinhos neste painel de degustação da Desconfraria (do 10º, no alto, à esquerda até o 1º, abaixo, à direita) poderia até parecer improvável, mas foi assim que ele se configurou. O  Château Talbot 2000, 4eme de Saint-Julien levou a melhor. 
No meu modo de ver, esse resultado um tanto desproporcional (em teoria) se deveu muito mais pela grande qualidade, quase uniforme, dos vinhos degustados, do que por um algum predomínio de qualquer um dos vinhos. Até a última rodada de votações o equilíbrio entre as preferências dos degustadores foi claro.
Confesso que assistir o Léoville Las Cases 2001 ser o primeiro “eliminado” do painel me causou muita surpresa, saindo depois de um “empate” com o Léoville Barton 2000 (o mais pontuado do painel junto do Palmer 2000). Porém, mais surpresa ainda foi ver um dos três Talbots 2000 (único vinho repetido do painel) chegar em primeiro lugar, depois que os outros dois ficaram em 7º e 8º lugares, respectivamente. Diz o ditado: “Há garrafas e Garrafas…”!
Coisas assim, só costumam ser vistas em degustações às cegas e onde o alto nível dos vinhos os torna tão próximos e quase sem defeitos perceptíveis. Mesmo que alguns desses vinhos pudessem não estar completamente “prontos”, isso não bastaria para justificar o resultado. Metaforicamente, seria como escolher uma classificação “perfeita” para as 10 melhores músicas dos Beatles ou a mais bela entre 10 Misses Universo, por exemplo.
Veja os detalhes de cada um dos vinhos e tire suas próprias conclusões:
10º lugar: Château Léoville Las Cases 2001 – 2eme St-Julien (RP93/WS94)
69% Cabernet Sauvignon, 19,5% Merlot e 11,5% Cabernet Franc – Consumo: 2011-2030
9º lugar: Château Léoville Barton 2000 – 2eme St-Julien (RP95/WS97)
72% Cabernet Sauvignon, 20% Merlot e 8% Cabernet Franc – Consumo: 2018-2040
8º lugar: Château Talbot 2000 – 4eme St-Julien (RP93/WS93)
66% Cabernet Sauvignon, 24% Merlot, 5% Cabernet Franc, 3% Petit Verdot e 2% Malbec
Consumo: 2010-2022
7º lugar: Château Talbot 2000 – 4eme St-Julien (RP93/WS93)
66% Cabernet Sauvignon, 24% Merlot, 5% Cabernet Franc, 3% Petit Verdot e 2% Malbec
Consumo: 2010-2022
6º lugar: Clos du Marquis 2001 (RP89/WS90)
57% Cabernet Sauvignon, 38% Merlot, 3% Petit Verdot e 2% Cabernet Franc
Consumo: 2009-2016
5º lugar: Château Palmer 2000 – 3eme Margaux (RP95/WS97)
47% Cabernet Sauvignon, 47% Merlot e 6% Petit Verdot – Consumo: 2010-2035
4º lugar: Châteaux Kirwan 2001 – 3eme Margaux (RP90/WS91)
55% Cabernet Sauvignon, 21% Merlot, 15% Cabernet Franc e 9% Petit Verdot
Consumo: 2008-2019
3º lugar: Château Branaire-Ducru 2000 – 4eme St-Julien (RP 94/WS92)
70% Cabernet-Sauvignon, 22% Merlot, 4% Cabernet Franc e 4% Petit Verdot
Consumo: 2010-2030
2º lugar: Château Palmer 2001 – 3eme Margaux (RP93/WS94)
51% Cabernet Sauvignon, 44% Merlot e 5% Petit Verdot – Consumo: 2011-2033
1º lugar: Château Talbot 2000 – 4eme St-Julien (RP93/WS93)
66% Cabernet Sauvignon, 24% Merlot, 5% Cabernet Franc, 3% Petit Verdot e 2% Malbec
Consumo: 2010-2022

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!