Painel de Degustação: Pomerol, onde reina a casta Merlot!

Data

Pomerol: o primeiro painel de degustação do ano pronto para ser apreciado…
A temporada de degustações da Desconfraria finalmente começou! O primeiro tema do ano foi Pomerol (margem direita de Bordeaux), cujas safras permitidas eram 2003, 2004 e 2005. Nem era preciso ser adivinho para saber qual delas teve presença maciça no painel: 2005, salvo um exemplar da safra 2003, ela foi onipresente.
Antes de mais nada, cabe explicar aos que ainda não conhecem a “mecânica” dos painéis de degustação da Desconfraria, como ela funciona: cada um dos membros entrega seu vinho do tema definido para um a pessoa responsável por organizar a degustação, horas antes de seu início, permitindo que ele abra os vinhos e faça o serviço antes de iniciarmos a avaliação dos mesmos.
Em seguida, diante de taças dispostas em ordem aleatória, ou seja, a posição de cada um dos vinhos não é a mesma para cada confrade, sendo identificados apenas por números que não se repetem, fazemos a avaliação dos vinhos.
Como costumo definir, esse é um modelo de degustação “duplamente” às cegas, já que não sabemos quais são os vinhos e a ordem aleatória das taças dificulta comparações entre os participantes. Os únicos elementos conhecidos são o tema e o vinho que levamos (mas que não sabemos onde está).
A razão desse mistério todo é impedir que as escolhas dos melhores (e piores) vinhos fique viciada ou contaminada pelos rótulos, fornecendo o resultado mais fidedigno possível das preferências do grupo. Além disso, nesta confraria há uma espécie de campeonato, cujo intuito é estimular os participantes a levar seus melhores vinhos dentro dos temas propostos. A briga pelo “título” costuma ser intensa!
Dadas as devidas explicações, vamos aos 9 vinhos do painel de Pomerol, onde a Merlot mostra o melhor de si em terras francesas, quiça no mundo, e muitas vezes com a escolta luxuosa da Cabernet Franc…
Como mencionei acima, pela qualidade excepcional da safra, praticamente todos resolveram levar vinhos da safra 2005, mesmo sendo a mais jovem delas. Os resultados trouxeram algumas surpresas, mas o grande vinho do painel, pelo menos nas avaliações de Robert Parker e da Wine Spectator, confirmou a expectativa de quem o levou. 
Cabe ressaltar que a qualidade de quase todos os vinhos avaliados era elevadíssima, ou seja, degustados isoladamente, certamente agradariam bastante qualquer apreciador. De modo geral, vinhos equilibrados, com taninos aveludados e aromas intensos de frutas negras, defumados e, em alguns, um ligeiro mentolado muito agradável.
Como neste painel o objetivo principal é classificá-los, a ordem dos vinhos pode sugerir que há uma diferença muito grande entre eles. Os vinhos estão apresentados a seguir na ordem decrescente de classificação:
9º lugar: Château Le Gay 2005 (RP95/WS93)
Composição: 90% Merlot e 10% Cabernet Franc
Amadurecimento: 18 meses em barricas de carvalho francês novo
8º lugar: Château Nenin 2005 (RP90/WS93)
Composição: 80% Merlot e 20% Cabernet Franc
Amadurecimento: 18 meses em barricas de carvalho francês (30% novo)
7º lugar: Château Hosanna 2005 (RP95/WS96)
Composição: 80% Merlot e 20% Cabernet Franc
Amadurecimento: 12 a 14 meses em barricas de carvalho francês novo
6º lugar: Esprit de l’Église 2005 (2º vinho do Clos Eglise)
Composição: 70% Merlot e 30% Cabernet Franc
Amadurecimento: 18 meses em barricas de carvalho francês novo
5º lugar: Château Clinet 2005 (RP92/WS93)
Composição: 85% Merlot, 10% Cabernet Sauvignon e 5% Cabernet Franc
Amadurecimento: 50% em barricas de carvalho francês novo, 40% em barricas usadas e 10% em tanques de aço inox
4º lugar: Château Gombaude Guillot 2003 
Composição: 85% Merlot e 15% Cabernet Franc
Amadurecimento: 12 meses em barricas de carvalho francês (50% novo)
3º lugar: Esprit de l’Église 2005 (2º vinho do Clos Eglise)
Composição: 70% Merlot e 30% Cabernet Franc
Amadurecimento: 18 meses em barricas de carvalho francês novo
2º lugar: Château Hosanna 2005 (RP95/WS96)
Composição: 80% Merlot e 20% Cabernet Franc
Amadurecimento: 12 a 14 meses em barricas de carvalho francês novo
1º lugar: Château L’Evangile 2005 (RP95+/WS100)
Composição: 85% Merlot e 15% Cabernet Franc
Amadurecimento: 18 meses em barricas de carvalho francês (70% novo)
De um modo geral, minha avaliação pessoal se aproximou bastante do resultado da média do grupo, com o soberbo L’Evangile 2005 um ou dois passos à frente dos demais. Curiosamente, se formos levar em conta apenas os “rótulos”, fiquei surpreso em observar que os dois Esprit de l’Église 2005 foram os que mais me agradaram na sequência, praticamente no mesmo nível dos Hosanna 2005. Foi uma pena que não apareceu um Clos L’Église 2005 para avaliarmos sua performance.
Outra observação interessante neste painel fica por conta da distância entre as duas garrafas de Hosanna 2005 (2º e 7º lugares) e de Esprit de l’Église 2005 (3º e 6º lugares), muitas vezes explicada pela diferença de guarda ou sutil diferença entre uma garrafa e outra. Coisas que só degustações à cegas costumam revelar.
A próxima parada da Desconfraria já está marcada, para depois do Carnaval, com o tema: Tops Chilenos (safras 2003, 2004 e 2005). Aguardem!

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!