Mitos vínicos ou puro luxo? Conheça a seleção dos 15 vinhos mais caros da Espanha!

Data

A autoridade máxima em vinhos espanhóis e que edita o célebre guia que leva seu nome, José Peñín, acaba de publicar um artigo em seu blog sobre os vinhos mais caros da Espanha. Um “pódio de luxo” que se baseia nos preços listados da nova edição (2014) de seu guia, muitos deles alcançando também as maiores pontuações do crítico, mas não necessariamente. O aspecto mais interessante da lista é a atribuição de valor “enológico” e “social” de cada um dos vinhos, uma classificação de valor fundamental para se saber pelo “quê” estamos pagando…
1. L´ERMITA 2011 TINTO (Guia Peñin – 97 pontos) 990 €    
Valor enológico: Um vinho espetacular que tem uma elegância e complexidade pouco comuns em um vinho do Priorato.
Valor Social: É definitivamente o vinho mais caro da Espanha, com algumas variações que não chegam a minar o seu status de “mito contemporâneo”. Um vinho que qualquer apreciador (ou não) gostaria de receber como presente. 
2. TESO LA MONJA 2008 TINTO (GP97) 900 €  
Valor enológico: Conjuga potência, complexidade e elegância, algo no mínimo insólito para um vinho de Toro.
Valor social: Não possui valor social, interessando apenas aos aficionados por seu valor enológico.
3. LA FARAONA 2011 TINTO (GP97) 770 €
Valor enológico: É o único Mencia de Bierzo a possuir características não imputáveis a esta variedade. Destaca-se pela sutileza, elegância e mineralidade que foram sabiamente desenvolvidas para alcançar um patamar muito superior daquilo que vemos em outros vinhos da região.
Valor Social: Somente para os conhecedores ou quem para quem sabe que vinhos espanhóis vão mais além de Alvaro Palacios.
4. PINGUS 2011 TINTO (GP97) 500 € 
Valor enológico: Um vinho complexo, cheio de matizes inesperados para um Tempranillo da Ribera del Duero. Possui uma elegância e uma complexidade que não se observam na maioria dos vinhos da região.
Valor social: Idêntico ao valor do L´Ermita. Um vinho quase inacessível que se converte em um troféu cobiçado pelos grandes apreciadores ao redor do mundo.
5. AMONTILLADO ZOILO RUIZ MATEOS GENEROSO (GP95 – Edição 2013) 495 €     
Valor enológico: É um vinho rico em expressões terciárias, com “salinidade oxidativa”, porém sem uma complexidade singular que o leve a merecer uma pontuação mais elevada.
Valor Social: Não possui nenhum valor social. Seu preço é fruto do capricho de seus proprietários, sem levar em conta quaisquer outros fatores relevantes para sua definição.
6. RELIQUIA PEDRO XIMENEZ GENEROSO (GP96)  484 €
Valor enológico: Um PX esplêndido que não contém apenas a doçura e a excelente densidade de um Pedro Ximenez, mas também uma riqueza de nuances e vivacidade de sensações.
Valor Social: Somente a importância da Barbadillo no mercado internacional pode influenciar uma certa cobiça entre os apreciadores de vinhos de Jerez. 
7. DIAZ-BAYO MAJUELO DE LA HOMBRIA  TINTO (GP92) 300 €
Valor enológico: Não possui características singulares, apenas é dotada de grande qualidade.
Valor social: É possível que seu preço seja resultado de uma decisão de seu próprio elaborador. Não representa nada mais que uma visão equivocada de marketing, que só serão comprados pela marca.
8. ENATE UNO CHARDONNAY 2011 BLANCO (GP94) 295 €
Valor enológico: Um vinho interessante e fora do comum entre os brancos habitualmente feitos com Chardonnay, não apenas na Espanha, mas em nível internacional.
Valor social: Se fosse um branco californiano possivelmente traria alguma agitação ao mercado internacional. Sendo uma variedade não muito vinculada com a tradição espanhola, não chega a ser surpreendente. O preço é baseado em uma questão de imagem, para atrair novos ricos e ganhar um falso status de mito. 
9. PESUS VIÑA SASTRE 2010 TINTO (GP97) 250 €
Valor enológico: É a expressão máxima do poder de uma vinha velha, com uma sábia seleção dos frutos mais maduros e um caráter mineral definido.
Valor social: Viña Sastre é uma marca relativamente bem conhecida nos EUA e o vinho poderá ser comprado pelos conhecedores do potencial da Ribera del Duero, mas não alcança a categoria de mito. 
10. CONTADOR 2011 TINTO (GP97) 249 €
Valor enológico: A autoridade de um vinhedo antigo, um elaboração ecológica e a personalidade de um terroir, fazem deste vinho um exemplo de singularidade que vai além de um grande Rioja.
Valor Social: Depois do L’Ermita e do Pingus ele aparece no ranking dos vinhos quase míticos. É um instrumento de prestígio usado pelos importadores e distribuidores que também começa a ser distinguido por grandes colecionadores.
11. PEREZ PASCUAS GRAN SELECCIÓN 2006 TINTO (GP94) 218 €
Valor enológico: Não é melhor do que outros vinhos da casa a preços muito mais baixos. É poderoso e rico, dentro do estilo clássico dos vinhos de Ribera del Duero.
Valor Social: É simplesmente o vinho mais caro da bodega, refletindo a decisão de destacar um vinho como referência superior. Não possui um valor social determinante.
12. GONZALEZ  BYASS AÑADA 1982 GENEROSO (GP97) 218 €
Valor enológico: Possui todas as virtudes que um envelhecimento inteligente “a la jerezana” pode oferecer. Conta com um valor agregado de uma complexidade oxidativa  que recordam os antiguos vinhos de “añada” da casa.
Valor social: Sem dúvida possui um atributo mítico circunscrito ao modelo jerezano de fazer vinhos de prestígio, porém sem o valor transcendental de um grande Porto Vintage, por exemplo.
13. ARTADI VIÑA EL PISON 2011 TINTO (GP97) 215 €
Valor enológico: É a conjunção de valores de um terroir extraindo toda a nobreza da identidade de um Tempranillo incomum. Tudo isso resulta num tinto mais elegância e complexidade que habitualmente vemos na Rioja.
Valor social: Possui um valor social muito mais baixo do que seu valor enológico. Um vinho reconhecido por importadores e distribuidores, mas que ainda não alcança grande interesse dos colecionadores do resto do mundo.
14. VEGA SICILIA RESERVA ESPECIAL 1994 TINTO (GP97) 200 €
Valor enológico: Tem todos os ingredientes que melhor definem um grande tinto clássico espanhol (longo envelhecimento, notas oxidativas, picante, complexo).
Valor Social: Ele ainda é uma raridade e não se negocia além do número limitado de garrafas que a bodega se propõe a oferecer.
15. VEGA SICILIA UNICO 2004 TINTO (GP97) 190 €
Valor enológico: Mesmo sem ser tão clássico como o Reserva Especial, ele reúne os traços de um amadurecimento prolongado e reflete sua origem em um vinhedo excepcional. Valoriza cada ano de repouso na adega, perfeito para os colecionadores.
Valor social: Sem dúvida é o mito nacional mais incontestável e o mesmo se dá a nível mundial. Entre os vinhos mais caros da Espanha, é o que tem mais garrafas comercializadas.
Para ler o artigo completo, acesse El Blog de José Peñín

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!