Preço x Qualidade: 6 vinhos subestimados em regiões altamente recomendadas!

Data

Bordeaux, Bourgogne, Piemonte, Veneto e Califórnia…

Todo mundo sabe que estas regiões vinícolas acima concentram boa parte dos melhores vinhos do planeta e, por isso mesmo, costumam ser bastante caros (os mais procurados então, são caríssimos!). Portanto, apesar da maioria dos enófilos saber de cor os nomes dos grandes vinhos destas famosas áreas produtoras de vinhos, poucos são capazes de citar os vinhos que oferecem boa relação preço x qualidade em qualquer uma delas…
O excelente artigo do site Wine Folly preenche essa lacuna e apresenta seis ótimas sugestões sobre o que há de melhor em Bordeaux, Bourgogne, Piemonte, Veneto e Califórnia, sem que isso cause um rombo em seu orçamento de vinhos. Veja quais são:  
1. Brancos de Bordeaux (Pessac-Léognan)
Todos os anos, no mês de abril, Bordeaux recebe milhares de compradores de todo o mundo para a chamada venda “en primeur“. O evento é basicamente um show extravagante com os melhores vinhos de Bordeaux. Enquanto esse burburinho está acontecendo, raramente alguém presta  muita atenção nos vinhos brancos secos da região, em especial, nos vindos de Pessac-Léognan. Esses Bordeaux brancos são feitos com as castas Semillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle.

2. Zinfandel do Napa Valley (Califórnia)

Merece os cumprimentos quem diz que é um apreciador do Zinfandel do Napa Valley. A verdade é que o Napa Valley já se destacava com a Zinfandel, muito antes da Cabernet Sauvignon assumir o centro das atenções. Antes das vinícolas do Napa arrancarem seus últimos pés de vinhas velhas de Zinfandel para dar espaço a mais rentável Cabernet Sauvignon, certifique-se de experimentar alguns. A Zinfandel é mais frutada que a Cabernet Sauvignon, mas oferece um final longo e instigante.

3. Dolcetto (Piemonte)

Aqui está um vinho do Piemonte perfeito para quando não se quer esperar pelos 12 anos necessários para amadurecer um Barolo. Apesar de Dolcetto significar “um pouco doce”, esse nome é um pouco enganador, porque um Dolcetto raramente tem algo de doce. Ele é um vinho robusto que sempre é ofuscado por Barolos e Barbarescos. É claro que um Barolo justifica toda sua grandeza após 10 anos ou mais, mas o Dolcetto está pronto para ser bebido jovem… especialmente com pizza.

4. Borgonhas brancos de Mâconnais

Todo mundo pode beber um branco da Borgonha, mas precisa saber onde procurar. Um Borgonha branco é quase sempre 100% Chardonnay (exceção feita aos cada vez mais raros varietais feitos com Aligoté), vinhos muito aromáticos e cremosos, com uso equilibrado de carvalho em seu envelhecimento. Os melhores Borgonhas brancos não são nada baratos, mas se você olhar nos lugares certos, pode achar bons rótulos com preços acessíveis. Na parte sul da Borgonha, há duas sub-denominações chamadas Mâconnais e Côte Chalonnaise. Nelas podemos encontrar as melhores relações preço x qualidade da Borgonha, um ótimo lugar para começar a beber os maravilhosos brancos da região.

5. Borgonhas tintos de Monthélie

Todo mundo sempre quer saber sobre os tintos acessíveis da Borgonha, onde reina a Pinot Noir. Não vou mentir, provavelmente será preciso gastar um valor maior que nos demais tintos para obter algo que valha a pena. O truque aqui é  procurar pelos vinhos da Côte de Beaune e focar nas vilas menos conhecidas. Monthélie é uma delas! Fica bem próxima de Volnay e Pommard, nomes muito mais reconhecidos, mas também faz vinhos muito bons. Estude o mapa da Borgonha e tente comprar vinhos que fiquem próximos dos nomes famosos das vilas. Além disso, não faz mal ficar longe dos vinhos de grandes negociants, não porque não façam bons vinhos, mas porque eles sabem exatamente o preço certo para seus vinhos de boa qualidade e pouca fama.
6. Tempranillos Reserva (Rioja)
Se um Rioja “Crianza” pode parecer pouco e um “Gran Reserva” pode custar caro demais, os “Reservas” são os vinhos ideais. Feito com a onipresente Tempranillo no norte da Espanha, os vinhos de Rioja têm muito tanino e alta acidez. Apesar do sistema de classificação da Rioja, onde existem 3 níveis de qualidade, terem os Gran Reservas no topo, ironicamente, são os vinhos Reserva que costumam ser os favoritos de produtores e apreciadores de Riojas. Portanto, na próxima vez que estiverem em busca de Rioja, olho nos Reservas.

Além destes 6 tipos de vinhos com ótima relação preço x qualidade, aqui vai mais um de bônus para quem adora os Amarones do Veneto: experimente a versão Ripasso dos Valpolicella, vinhos que recebem uma passagem (daí o ripasso em italiano) pelas uvas utilizadas para a produção do Amarone, ganhando um tempero extra e adquirindo o traço característico destes vinhos.

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!