Vem aí mais uma edição da Vitória Expovinhos: aprenda a navegar neste verdadeiro "mar" de vinhos!

Data

Veja como se manter no rumo certo numa feira de vinhos…
Na próxima semana, nos dias 12 e 13, começa mais uma edição da Vitória Expovinhos, o maior evento de vinhos do Espírito Santo. Para que você tenha a melhor apreciação possível do evento, é importante lembrar de alguns detalhes que fazem toda a diferença, especialmente se estiver indo pela primeira vez, e permitem que você obtenha o máximo proveito da feira. 
Observando as dicas deste pequeno guia abaixo, com orientações básicas e bem objetivas, você irá “navegar” pelo evento com toda a tranquilidade:
• Evite ir ao evento de estômago vazio, faça um lanche ou refeição leve. Como a maioria dos visitantes não vai fazer como os degustadores profissionais, ou seja, descartar o vinho (cuspir mesmo…) em um recipiente próprio para isso, é recomendável beber apenas um pouco da amostra e jogar fora o resto (se houver…). Ninguém vai aproveitar bem os vinhos provados, se os sentidos estiverem fora do lugar.
• Evite exagerar nos perfumes, especialmente “as” visitantes, pois isso pode comprometer sua apreciação olfativa dos vinhos. Batom também “deveria” ser evitado, pois pode interferir no paladar, mas como a beleza e a elegância delas falam mais alto, elas podem “esquecer” meu comentário…
Chegando ao local do evento, antes de ficar perdido, sem saber por onde começar, simplifique, faça um breve roteiro de seu percurso, observando o seguinte:
• Inicie a degustação pelos vinhos espumantes, siga para os brancos (dos sem passagem em madeira para os com passagem em madeira). Se não souber reconhecer, pergunte a quem está lhe servindo (ele está lá para isso!). 
• Encerrados os brancos (e rosés), inicie a prova dos tintos, comece pelos mais leves e siga para os mais encorpados. Por exemplo, um Pinot Noir é geralmente leve, um Cabernet Sauvignon é sempre mais encorpado (lembro que isso são regras gerais, mas com muitas exceções). Insisto mais uma vez, pergunte sempre “o quê” estão lhe servindo! E finalmente, deguste os vinhos doces ou fortificados no final, evitando que seu dulçor se sobreponha aos demais tipos de vinhos.
Durante seu percurso, esteja preparado para intensificar a sua percepção sensorial, OLHE para o vinho (inclinar a taça levemente, vai ajudar), observe sua cor, sua intensidade e translucidez. CHEIRE seu vinho, primeiro sem girar a taça, busque na sua memória olfativa algo que lhe pareça familiar ou similar. Em seguida, agite-o, girando levemente a taça e observe se os aromas ficam mais intensos ou se modificam.
Busque novamente na memória e tente identificar os aromas com algo que você tenha como referência aromática. Pronto! DEGUSTE (não beba!) colocando um pequeno gole de vinho em contato com a língua e o palato. Deixe-o aí por alguns segundos, sua língua possui setores, as papilas gustativas, capazes de reconhecer os diferentes tipos de sabor (salgado, doce, ácido e amargo). Em seguida, abra ligeiramente os lábios e puxe um pouco de ar. Isso vai intensificar as sensações gustativas que estiver sentindo. Para concluir, BEBA este pequeno gole (ou descarte), preste atenção e verifique se os sabores do vinho ainda permanecem na sua boca. Os melhores podem persistir muitos segundos no seu paladar.
Simples, não? Gaste o tempo que julgar necessário em cada vinho (de um a dois minutos, em média) e tire o máximo proveito dele. A partir daí, você pode passar a observar coisas mais concretas como: quanto custa, se tem na sua loja de vinhos preferida e o mais importante de tudo: descubra se você realmente gostou do vinho! 
Mas observe que, mesmo que muitos digam que “vinho bom é aquele que você gosta”, isto é apenas uma parte da equação. Naturalmente, à medida que você provar mais vinhos e conhecer outros estilos, irá adquirir a capacidade de estabelecer suas reais preferências e “educar” seu gosto gradativamente, compreendendo até mesmo as nuances existentes em vinhos produzidos com uma mesma casta e em lugares bastante próximos, o famoso conceito de “terroir”.
Seguindo estas pequenas dicas, você certamente aproveitará muito bem qualquer feira de vinhos que tiver a chance de participar.
*Coluna publicada originalmente no jornal ES Hoje

Outros Artigos

Olá, fique mais um pouco. Sou seu Wine Hunter.

Se não encontrou o que realmente procurava, deixe que eu faça isso por você.

Quero te propor a melhor experiência em nosso Marketplace de vinhos!